WhatsApp Whatsapp WhatsApp Enviar email

Gostaria de entrar em contato?

Nome
Email
Celular
Assunto

Escrever outra mensagem

WhatsApp Corretores
online

22 de novembro de 2021

Mercado imobiliário

VGV projeta crescimento de 12% e o setor da construção deverá registrar o maior crescimento nos últimos 10 anos

Thumbnail

O mercado imobiliário sente cada vez mais a recuperação do setor e em 2021 a projeção é de um crescimento de mais de 12% no Brasil em relação ao ano passado. De acordo com estimativa da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), o Valor Geral de Vendas (VGV) deve encerrar este ano em cerca de R$ 99 bilhões no país.

Em 2020, o valor vendido ficou em aproximadamente R$ 88 bilhões. Cláudio Hermolin, presidente da Ademi-Rio e do Sindicato da Construção Civil (Sinduscon-Rio), afirma que esse é um dos melhores indicadores do mercado já que mostra a quantidade de receita que pode ser gerada com os empreendimentos residenciais. Segundo ele, o avanço foi possível por conta de três principais fatores: “Apesar do recente aumento na taxa Selic, o crédito imobiliário segue baixo, historicamente falando. Além disso, 85% dos canteiros de obra ficaram em atividade no país no último ano. E, por fim, houve uma requalificação do morar. As pessoas ficaram em casa, o que fez com que o lar e, portanto, o mercado imobiliário, tivesse uma relevância maior”, explica o engenheiro.

Hermolin destaca ainda que São Paulo pode alcançar o recorde histórico e terminar o ano com um crescimento seis vezes maior do que o Rio: “A capital paulista pode chegar a um VGV de R$ 30 bilhões. O mercado imobiliário do Brasil, na verdade, sempre esteve mais concentrado em São Paulo, por conta da economia e do PIB. Na década de 80, por exemplo, o VGV de São Paulo chegou a ser em torno de oito vezes maior do que o da capital fluminense”, afirma o presidente da Ademi-Rio.

Na última divulgação da Sondagem Indústria da Construção, realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com apoio da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), os dados também foram positivos. Em 2021, o setor da construção deverá registrar o maior crescimento nos últimos 10 anos. Isso porque a expectativa é de um crescimento de 5% no PIB (Produto Interno Bruto) do setor.

Além disso, o nível de atividade médio da construção atingiu 50,4 pontos no terceiro trimestre desde ano, o melhor índice para o período desde 2010. Pelo quinto trimestre consecutivo, o principal problema do setor é o alto custo dos insumos e matéria-prima, ou a falta deles, de acordo com 54,2% dos empresários. Entretanto, nos últimos dois trimestres, a reclamação do setor por falta item registrou uma desaceleração gradativa, passando de 77,5 pontos para 75.

Fonte: CNN Brasil

Consulte nossas opções

Para mais informações sobre os empreendimentos Congesa, fale com nossos corretores através do WhatsApp: 19 99761-2571, ou, se preferir, acesse www.congesa.com.br e fale conosco via chat.

Posts relacionados

Os benefícios da arquitetura bioclimática

7 de junho de 2022

Mercado imobiliário

Projetos arquitetônicos integrados à natureza vão muito além de beleza e bem estar dos futuros moradores do local. A arquitetura bioclimática é um tipo de projeto que apresenta so...

Mercado imobiliário está aquecido: Bom momento para investir em imóveis

27 de maio de 2022

Mercado imobiliário

Em abril de 2022, São Paulo registrou o maior valor do aluguel desde 2019, segundo o índice QuintoAndar de Aluguel, com alta de 1,28% em relação a março, esse foi o décimo mês co...

Singulare Cambuí: 1º empreendimento de alto padrão da Congesa no Cambuí, em Campinas

28 de abril de 2022

Mercado imobiliário

No dia 12 de abril aconteceu em Campinas o evento de entrega do Singulare Cambuí. Faz pouco tempo que a obra acabou, mas já estamos com saudades desse empreendimento que foi o 1º pro...